Meu mundo. Meu desenho

Jackson Santana é um artista plástico pernambucano.  Diagnosticado autista aos seis anos de idade, encontrou na arte uma maneira de desvelar o seu mundo.

Aos cinco anos, Jackson já demonstrava sua atração pelas formas. Sempre desenhava bolinhas e foi evoluindo para os tracinhos e outras formas.

Dotado de uma excelente memória visual, sempre gostou de reproduzir pessoas e cenas vivenciadas no cotidiano. No papel, seu olhar foi tomando forma. Bolinhas e tracinhos se transformaram em imagens, paisagens, sentimentos em tela plana.

Jackson dialoga com outros mundos através da auto-expressão traduzida em formas, traços, cores, nuances. Sua linguagem particular é o desenho.  Em 2014, realizou sua primeira exposição individual, com telas de paisagens e manifestações culturais de Pernambuco.  Jackson criou um acervo específico para essa exposição: produziu 20 obras sobre a maneira como enxerga Recife, Olinda e o carnaval, com suas festas, paisagens e casarões, temas que sempre encantaram o artista.

Seu mundo particular dialoga com a arte. A arte, é o veículo que leva sua arte ao mundo. Deste intercâmbio nasce  uma troca, uma comunicação entre mundos, visões e vivências.

O trabalho de Jackson existe pela sua vontade de comunicar o seu olhar. Olhar sutil, paciente, peculiar. Traço intenso, firme, fluido. Um manifesto.